Grupa Galo

Colorismo

Minha pele não é retinta. Tenho a cor da miscigenação brasileira. Isso quer dizer que há democracia racial no Brasil? O conceito do colorismo chama a atenção para os diferentes níveis de preconceito e marginalização sofridos pela população negra, dependendo de quão afrodescendente é sua aparência. Cor, cabelo, formato do nariz, da boca e outras características fenotípicas determinam como as pessoas negras são lidas socialmente.

Carta aberta a Diretoria do Galo

CARTA ABERTA AO CLUBE ATLÉTICO MINEIROILMO. SR. Presidente Sérgio Coelho Belo Horizonte, 16 de março de 2021.     Prezado Senhor Prezados Membros do Conselho Deliberativo   Agradecemos a oportunidade de dialogar com o Clube para apresentar o conteúdo deste documento, redigido originalmente em novembro de 2019. À época, reunimos, por orientação da diretoria, com o ouvidor do Atlético, João Paulo, e, na oportunidade, manifestamos o desejo de discutir nossas propostas com representantes do Clube. Não houve retorno. Nós, Leia mais…

Por que #CucaNão ?

Torce pro Galo e não está entendendo o movimento #cucanao ? Este texto é pra você. Contexto: Cuca foi condenado, junto a outros atletas do Grêmio, por violência sexual contra pessoa vulnerável, no caso, uma jovem de 13 anos. A condenação ocorreu em 1990, três anos após o ocorrido, que ficou conhecido como “O Escândalo de Berna”, cidade onde o crime aconteceu. Os atletas chegaram a ficar detidos na Suíça por 28 dias e, após Leia mais…

A luta pela inclusão de atletas trans no esporte

O Dia da Visibilidade Trans começa com o lançamento da campanha do Ministério da Saúde para promover o respeito e a cidadania às travestis e transexuais. A campanha “Travesti e Respeito”, lançada em 29 de janeiro de 2004, foi criada em parceria com o movimento de travestis e transgêneros do Brasil e é considerada a primeira iniciativa nacional antifobia do país. O esporte é um instrumento de manifestação social da população e difundido entre suas Leia mais…

Hiperssexualização dos corpos negro

O Brasil, último país a abolir a escravidão, tem sua história marcada pela violência, exploração e genocídio da população negra. Desde o período escravocrata até os dias de hoje, pouco mudou quanto à construção da representação social do negro. O racismo estrutural vela o que as estatísticas escancaram: o corpo negro é descartável, inferior. E quando se trata do exercício de sua sexualidade, os corpos negros permanecem sendo violados e descartados. A construção de estereótipos Leia mais…

É a nossa vez de sermos protagonistas na festa da democracia

O voto feminino é fruto de uma longa luta que está muito longe de chegar ao fim. Em 1932, após pressão popular, iniciada antes mesmo da Proclamação da República, foi instituído o voto feminino. No entanto somente as mulheres casadas, viúvas e solteiras que tivessem renda própria podiam votar. Logo apenas camadas médias da sociedade brasileira puderam usufruir de tal conquista. É importante ressaltar que as transformações econômicas, políticas e sociais do final do século Leia mais…