Sobre a Grupa

1 – O que é o Grupa?

Um grupo criado por mulheres que amam o Clube Atlético Mineiro, que desejam frequentar os espaços reais e virtuais do futebol sem preconceitos, e para isso se posicionam contra o machismo, racismo, homofobia e elitização do futebol. Esse nome é uma brincadeira. Estávamos sendo ironizadas no twitter, sendo chamadas de “panelinha” e “grupinho”. Uma amiga, então, respondeu que, na verdade, éramos uma “grupinha”.

 

2- Como surgiu? Quando surgiu?

No desfile de apresentação de uniformes feito pelo Atlético em 2016, várias mulheres não se sentiram representadas. Resultado: fizemos uma nota de repúdio. Depois disso, fomos atacadas virtualmente e nos unimos por uma necessidade social de suportarmos juntas os ataques e de nos fortalecermos enquanto mulheres no futebol. Fomos construindo essa amizade ao longo do ano e fomos nos tornando parte de uma grupa. O diálogo e a sororidade surgiram no ambiente virtual do Twitter, mas ganhou encontros presenciais, principalmente em dia de jogos do Galo.

 

4- Quantas integrantes tem?

Não temos como precisar. Éramos um grupo reduzido que se comunicava entre Mensagens Diretas no Twitter, mas, como a cada dia mais mulheres e homens nos procuram para fazer parte, criamos um endereço @grupacam, que pretende estar aberto a toda aquela e aquele que queira participar. Cada dia mais pessoas nos procuram e querem nos encontrar e conhecer. Como estamos abertas a isso, achamos ótimo.

 

5- Homens são bem vindos ou é um grupo restrito?

Sempre foram, e muitos participam desde o início. Quando vamos ao jogos, encontramos com vários amigos, levamos irmãos, pais, namorados, maridos… O fato de ter um nome feminino, apenas por diversão, não deveria sequer parecer que não aceita homens, já que o contrário seria visto como normal. No entanto, procuramos criar um ambiente de empatia e segurança entre mulheres. A presença masculina não é restrita.

 

6- O grupa vai se tornar uma espécie de torcida organizada?

Digamos que não é uma questão que está presente nos encontros da Grupa. A Grupa não perde a oportunidade de se encontrar pessoalmente, principalmente em jogos do Galo, o que não nos credencia como torcida organizada. Estamos mais para uma “Bagunça Organizada”, seguindo uma boa tradição atleticana.

 

Em campo, todo mundo pode colar com a gente. Somos 100% apoio, anti-corneta e fazemos análises táticas. Não usamos xingamentos homofóbicos, não vaiamos o time, técnico ou jogador e jamais vamos tolerar quem xinga bandeirinha por ela ser mulher.

 

7- Vocês planejam ocupar determinado setor do Independência?

Não há essa intenção. O que fazemos é tentar encontrar um lugar mais acessível para todas e todos que quiserem ver os jogos juntos. Essa, por enquanto, é única preocupação da Grupa: congregar quem se sente isolado, inseguro ou mesmo deseje estar em volta de torcedores e torcedoras que se divertem com o futebol sem precisar se utilizar de argumentos preconceituosos e violentos para isso.

 

Gostamos de ir aos jogos juntas, mas várias vezes estamos espalhadas no estádio, pois depende do valor e disponibilidade de ingressos. Tem gente que gosta de estar sempre atrás do banco, no P2 (Independência) ou atrás do gol, no inferior laranja (Mineirão), para poder dar aquele gás extra e apoiar o time e comissão técnica o tempo todo.

Leave a Reply